Skip to content

Teatro

Informação sobre o teatro dinamarquês pode ser encontrada abaixo.

Fold alle afsnit ud
Fold alle afsnit ind

Teatro e Dramaturgia

Como nos países limítrofes, os rituais pré-cristãos na Dinamarca presumivelmente continham elementos teatrais, mas nada se sabe com precisão. Tampouco há fontes escritas relativas ao drama litúrgico medieval nas igrejas, apesar de murais e adereços que sobreviveram à época apontarem para sua existência.

O Ludus de Sancto Knud Lavard, a maior obra hagiográfica da Escandinávia, que representava a vida do Rei São Canuto Lavard, provavelmente foi encenada na praça do mercado, em Ringsted. Essa representação é conhecida desde do ano 1500, mas é possível que tenha sido baseada em textos mais antigos.

Escola de Dramaturgia

Havia escolas de drama antes mesmo da Reforma Católica, porém foi a escola de drama protestante que acabou constituindo um importante movimento político-cultural nos mercados das cidades. Os reis, igualmente, estavam alegres em ser entretidos com as obras daquelas escolas, que continham temas bíblicos, moralizantes e satíricos.

Os textos eram traduções do alemão e do latim, mas um drama nativo dinamarquês se estabeleceu, tendo como maior maior expoente Hieronymus Justensen Ranch, pastor de Viborg. Sua obra, intitulada Karrig Nidding (Nithing the Niggard), de 1600, aproximadamente, era uma verdadeira comédia com traços da tradicional pantomima carnavalesca. Todavia, em início do século XVII, a igreja mudou seu ponto de vista acerca do teatro com o soerguimento da ortodoxia Luterana junto com seus paradigmas que permearam a vida cotidiana. Foi sustentada a idéia de que o teatro guiava as pessoas ao pecado e ao vício.

Artistas itinerantes

Companhias de teatro profissional que viajavam toda a Europa na segunda metade do século XVI começaram a vir para a Dinamarca. Conseqüentemente, em 1568, Frederik II teve a seu serviço uma companhia inglesa, que inclusive contava com o ator comediante William Kempe, que anos depois passaria a atuar nas peças de Shakespeare. Mais tarde, a partir dos anos 1600, as companhias itinerantes, formadas principalmente por atores de língua de origem alemã e holandesa, viajaram pela Dinamarca representando, entre outros, os espetáculos extravagantes chamados “Haput- und Staatsaktionen”.

O desejo da monarquia de dar uma expressão mais dramática a sua própria grandeza, especialmente sob o reinado de Christian IV, assumiu formas ainda mais espetaculares. O casamento do herdeiro ao trono, no ano de 1634, representou um enorme investimento; a “Grand Bedding of the Couple” foi uma celebração com comédia, música, dança e fogos de artifícios, que durou mais de duas semanas. Nessa ocasião, o balé da Corte, uma espécie de teatro alegórico do qual participavam os mais distintos membros da própria Corte, além dos atores, foi introduzido.

Fold alle afsnit ud
Fold alle afsnit ind